Eu e o fim do romantismo.

 

Carlos e eu namoramos a distância por um bom tempo, nos víamos a cada 15 dias, um relacionamento a três: Carlos, Letícia e a Saudade.

Nesse vai e vem de Seropédica x Cruzeiro, as férias sempre eram bem vindas, época de ficar grudados.

Um dia avulso, ao chegar do trabalho, feliz em saber q eu estava em casa o esperando, ele declara:

― Ter você aqui é como a brisa da tarde.

Naquele momento eu me contorço em um mix de espanto, ofensa e indignação:

― Brisa da tarde? Agora eu virei fragrância de desinfetante? Amanhã eu serei “amanhecer primaveril”, “toque do campo”?? Pára, né Cazenriqui!

Alí, naquela tarde, o romantismo faleceu neste relacionamento.

 

fimro

Eu, mamãe e estilo.

Mamãe querida com toda atenção sempre compra mimos para os filhos, é uma blusinha, par de meia, presentear é um hábito na família.

Porém, venho aos poucos mudando as minhas roupas, antes no Rio era shortinho e havaianas o tempo todo, agora, tenho escolhido por roupa mais sóbrias, nude, sem estampas.

Mamãe ainda não percebeu e sempre aparece com umas peças que não tô mais afim de usar.

Hoje por telefone:
– Filha, comprei um macacão pra você.
– Ahhh mãe, não compra mais roupa pra mim não, tô querendo um estilo mais nude.
– O estilo vai ser ” ESTILO TÁ NA PROMOÇÃO e CABE NO SEU PEITO” pára de graça!

Mamãe é uma ótima consultora de moda realista.

Eu e meu cachorro.

Estou temporariamente morando do Rio, fiquei um mês sem ir em casa e minha maior curiosidade esse tempo todo foi como TóHenriqui reagiria quando me visse.
Ele faria uma festa ao me ver? Ficaria colado em mim?!
Teria raiva? Se sentiria abandonado?

Quando Carlos passou uma semana fora o dog fez toda uma festa no reencontro, não desgrudou por horas, abraçava Carlos sem parar.

Estava curiosa e ansiosa para o reencontro.

Cheguei em casa as sete da manhã, viajei de madrugada, Tózinho ao ver q a porta fez barulho se levando, mas não saiu do lugar, eu entrei, o chamei, dei Oi, ele veio até mim.. Não teve rabinho mexendo, pulinhos, nem a orelha levantou.
Sentei no sofá, o chamei, calmamente sem a menor vontade ele veio, sentou no meu colo e a expressão era “garota, me deixa dormir, são sete da manhã”.
Disse q ele podia ir pra cama e ele foi.

Só chego a conclusão que Tó é um gato em corpo de cachorro, ele gosta da casa, gosta da comida, me obriga a brincar e fazer carinho e só, não posso esperar afetividade canina.

Começo a desconfiar que estou em um relacionamento abusivo

#schnauzer #casosdefamília
@dog.thorzinho